Mas o bom é que você pode abocanhar uma parte desse lucro

Sabe aquelas economias que colocamos na poupança todo mês? Pois é justamente essa sua reserva que os bancos usam para empréstimos e financiamentos, e lucram milhões.

Como assim?

 

Então, pelas regras do Banco Central, os bancos podem utilizar 15% dos recursos que os investidores colocam na poupança para oferecer empréstimos muito mais caros para os seus clientes. Outros 65% precisam ser aplicados em financiamento imobiliário.

Segundo a Associação Nacional dos Executivos de Finanças (ANEFAC), a taxa média de juros cobrada pelos bancos em outubro foi de 6,86% ao mês, o que significa uma receita média de R$ 8 bilhões por mês utilizando aquele dinheiro que você guarda.

Para os 65% (cerca de R$ 500 bilhões do saldo da poupança) que as instituições emprestam para o crédito imobiliário, considerando uma taxa de 9% ao ano, a receita ficaria em torno de R$ 3,8 bilhões por mês.

Somando, o ganho que os bancos podem ter é de quase R$ 12 bilhões com os recursos da poupança, enquanto o rendimento das cadernetas foi de apenas R$ 2,95 bilhões em no mês passado.

 

Pedacinho do bolo

Tá vendo porque os bancos querem que você continue usando a poupança? O rendimento que ele repassa é bem menor do que eles podem conseguir investindo em empréstimos e financiamentos. Mas a boa notícia é que dá pra comer um pedaço delícia desse bolão.

Existem formas de investimentos no qual você empresta dinheiro sem precisar de um banco, e por isso, a maior parte do rendimento é seu. É o caso dos investimentos peer-to-peer (P2P).  Por meio dele, é possível investir em pessoas ou empresas privadas, eliminando toda a burocracia e os procedimentos comuns das instituições financeiras.

Já existem muitas plataformas nas quais você empresta seu dinheiro diretamente para o tomador de empréstimo, seja ele pessoa física ou jurídica. Caso da Mutual, Biva, Nexoos, Tutu Digital.

Na Mutual, por exemplo, você pode emprestar para pessoas físicas com rendimento de até 115% ao ano. O investimento é feito todo pelo aplicativo, e você escolhe a para quem vai disponibilizar o dinheiro, mediante informações de risco que a plataforma te fornece. Quando um empréstimo é realizado a Mutual gera uma Cédula de Crédito Bancário (CCB) que é endossada ao investidor, o deixando como dono daquela direito de recebimento, os juros daquele contrato, transformando você em um banco.

Na próxima vez que um dinheiro estiver sobrando pesquise quais tipo de investimentos podem te dar mais do que você pode dar aos bancos.

 

(Fonte: Infomoney)

 

 

Posted by Leonardo Rebitte

Leonardo Rebitte é graduado pela FGV em Administração com qualificação profissional em Recursos Humanos pela mesma Instituição, membro do CRA-RJ (Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro) com 20 anos de experiência em Tecnologia, Seguros, Cobrança e Serviços Financeiros, implementando tecnologias, processos e gerenciando projetos para: Citibank, American Express, Volkswagen, Embratel, Portugal Telecom…

Em 2016 fundou a http://mutual.club, a primeira plataforma a permitir o empréstimo entre pessoas através de Instituição Financeira. Recebeu vários prêmios e participações: Bradesco – InovaBRA, Santander Fintech Venture Days e Ciab Fintech Day 2016 and 2017 pela Febraban.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *