O que você precisa saber sobre as inovações do mercado financeiro

Já reparou como estão surgindo várias empresas prometendo deixar o seu dia-a-dia financeiro mais prático e menos custoso via plataformas digitais?

Pois essas são as Fintechs. Essas startups trabalham para inovar e otimizar os serviços do setor financeiro, diminuindo a burocracia e com custos operacionais muito mais baixos que de bancos tradicionais. Isso é possível porque conseguem utilizar tecnologias que elevam a eficiência dos processos.

Chega de filas, de pagar taxas altas, de intermediários nos seus investimentos. Essas fintechs te dão as ferramentas para que você sozinho cuide da sua saúde financeira e te ajudam a atingir os seus objetivos.

O crescimento do acesso à internet e a popularização de smartphones fez muita gente adotar essas soluções mais práticas.  Até os bancos tradicionais já estão adotando várias dessas ferramentas digitais para diminuírem o seus custos.

Outra vantagem existente nos serviços ofertados por fintechs é a possibilidade de gerar um grande impacto social. Devido à carência de novas ofertas de serviços inovadores das instituições tradicionais do setor financeiro e com o avanço da desbancarização em classes menos abastadas da sociedade, os serviços que conseguem baratear os seus serviços ofertados e conseguem atender a população de baixa renda.

Tipos de fintechs

Dentre os principais serviços oferecidos pela fintechs estão:

Confiança

Mas qualquer site e aplicativo que faz esse tipo de serviço é uma fintech? É confiável?

Nãooooo!! Para tudo!!

Por se tratar de um setor que tem o dinheiro como mercadoria principal, os golpes e fraudes são bastante comuns. Sendo assim, certifique-se de que trata de uma empresa correta antes de compartilhar dados bancários ou fazer uma transação financeira.

O Banco Central, em abril desse ano, lançou uma resolução para regulamentar as atividades das fintechs. Elas poderão atuar em cada uma das duas modalidades criadas pela norma. São elas a Sociedade de Crédito Direto (SCD) e a Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP).

Atualmente as fintechs de crédito, por exemplo, atuam como correspondentes bancários e seguem a Resolução nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 do Banco Central.

Posted by Leonardo Rebitte

Leonardo Rebitte é graduado pela FGV em Administração com qualificação profissional em Recursos Humanos pela mesma Instituição, membro do CRA-RJ (Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro) com 20 anos de experiência em Tecnologia, Seguros, Cobrança e Serviços Financeiros, implementando tecnologias, processos e gerenciando projetos para: Citibank, American Express, Volkswagen, Embratel, Portugal Telecom…

Em 2016 fundou a http://mutual.club, a primeira plataforma a permitir o empréstimo entre pessoas através de Instituição Financeira. Recebeu vários prêmios e participações: Bradesco – InovaBRA, Santander Fintech Venture Days e Ciab Fintech Day 2016 and 2017 pela Febraban.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *