Hoje há vários tipos de investimento a considerar no mercado que geram mais retorno financeiro para você e tiram o seu dinheiro da mão dos bancos. Que tal conhecê-los?

Tem muita gente apegada à poupança por achar que é a forma mais segura de investimento, com poucos riscos e, assim, menos sustos em relação ao retorno financeiro. Justificativas como “pelo menos o dinheiro fica guardado” ou “posso mexer na poupança a hora que eu quiser” são bem comuns entre os adeptos.


Esse é um pensamento que até faz sentido se você quer guardar dinheiro para usar em um futuro próximo ou uma emergência. Nesses casos, realmente não é recomendado expor esse dinheiro em operações de alto risco, já que pode ser necessário usar esses recursos em momentos específicos.

Entretanto, é importante ter isso bem claro: poupança não é investimento. Nosso histórico de juros altos nos levou a acreditar que investir em renda fixa era a melhor opção. Não é à toa que cerca de 90% dos brasileiros consideram a caderneta de poupança um tipo de investimento.

Mas, o medo de testar novas opções de investimento até faz sentido. Ainda temos pouco acesso a informações sobre as características dos investimentos, quem pode investir e qual a melhor opção, de acordo com o perfil financeiro de cada pessoa.

Sem contar que há várias modalidades de investimento a considerar e comparar no mercado. E, sem uma orientação profissional, só ouvindo a opinião dos parentes e pessoas próximas, ficamos sem a menor ideia de como começar. Se esse é o seu caso, vem que a gente te ensina como fazer!.

Você sabe qual a diferença entre investir e poupar?

Parece que é tudo a mesma coisa, mas saber direitinho a diferença entre esses termos conta na hora de decidir o que fazer com o seu dinheiro. De uma forma bem simples:

  • Economizar: fazer sobrar algum dinheiro no final do mês.
  • Poupar: guardar esse dinheiro e não gastá-lo, pensando em utilizá-lo no futuro.
  • Investir: pegar o dinheiro poupado e aplicá-lo financeiramente, de forma que ele gere rendimentos ou algum tipo de correção.

Se você ainda não sabe o que fazer com o seu dinheiro, aplicar na poupança é melhor do que deixá-lo parado na sua conta corrente e faz com que esse valor seja remunerado com juros mensais. Mas, se você busca maior retorno financeiro em curto, médio e longo prazo vale ficar de olho em outras possibilidades.

Quem lucra com a poupança são os bancos, e não você!

A poupança é considerada por muitos um investimento de baixo risco. Tão baixo que não gera praticamente nenhum retorno. Mas tem alguém muito feliz com isso: os bancos.

Sabe aquelas economias que depositamos lá todo mês? É o seu dinheiro, guardado com tanto esforço, que o banco utiliza para fazer empréstimos pessoais e financiamentos. Com o cofrinho cheio, as grandes instituições financeiras chegam a lucrar até 200% ao ano, enquanto o que você recebe é uma singela remuneração de 3,5% a.a. 

Pensa que acabou por aí? Se você precisar resgatar esse dinheiro antes dos 30 dias corridos, se prepare para a possibilidade de não lucrar nada no período correspondente.

Por que está na hora de apostar em novas modalidades de investimento

Você pode dizer “ah, mas eu sou conservador quando o assunto é dinheiro”. Ainda assim, vale aproveitar que a tecnologia facilitou o acesso a novos tipos de investimento e tirou a oferta de ativos financeiros da mão dos grandes bancos. Assim, você pode aproveitar essa nova onda de investimentos para:

  • Ficar com a maior parte dos rendimentos para você: já ouviu falar dos investimentos de pessoa para pessoa (P2P)? Você faz um empréstimo diretamente para quem solicita o crédito com rendimentos que chegam a 115% ao ano. Na Mutual, você faz o investimento online e escolhe para quem vai emprestar, considerando as informações de risco que o app te fornece.
  • Começar a investir mesmo sem ter muito dinheiro: muita gente espera ter grana para começar a investir. Não é necessário. No nosso app, por exemplo, dá para aplicar o dinheiro em pequenas cotas de investimento. Assim, o pequeno investidor amplia suas possibilidades e os mais ousados podem alcançar uma rentabilidade anual superior a 350% do CDI (taxa de rendimento anual de investimentos). 
  • Alcançar a segurança financeira: imagine aplicar seu dinheiro por alguns anos para depois viver apenas dos juros desses investimentos? No longo prazo, essa pode ser a solução para a sua aposentadoria, por exemplo. Quanto mais cedo você investir, mais perto estará da sonhada independência financeira.
  • Acumular patrimônio: é importante ver o investimento como uma construção do seu futuro. No modelo de investimento oferecido pela Mutual, o retorno é sempre acima do que é ofertado pelo mercado. Como a remuneração é baseada em juros sobre juros, é uma excelente opção para quem quer gerar patrimônio.

Este artigo foi útil para você?

Esperamos que esse artigo tenha sido útil e esclarecedor para você! Fique de olho no blog da Mutual para mais assuntos como este.

E se você ficou com alguma dúvida, pode deixar um comentário no FacebookInstagram e Linkedin!

Posted by Milena Almeida

Analista de Marketing na Mutual. Formada em Jornalismo, com especialização em gestão de projetos para mídias digitais e interativas, possui experiência no planejamento, execução e gestão de estratégias de Comunicação Integrada e Marketing Digital.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *